quinta-feira, 16 de março de 2017

TPCs? Nem sempre, obrigado








Todos os meses são bons para discutir o tema que se tem avolumado em cima das secretárias dos professores e sobre as mesas de trabalho na casa de cada aluno. Os trabalhos de casa andam na ordem do dia. Se concordo com os tão célebres e badalados TPC’s? Concordaria se prevalecesse o bom senso e houvesse uma articulação entre os docentes, de modo a não prolongarem os longos dias que os alunos passam na escola em mais duas, três ou quatro horas de ocupação intelectual, em casa, envolvendo pais, tios, avós e explicadores. 

É por isso que eu, no exercício da minha profissão, muito raramente (quase nunca) mando trabalhos para casa. Porquê? Porque os alunos têm de gozar momentos de pausa e descontracção, quer sozinhos, quer com os amigos e com a família e porque nunca sei quem é que vou ter de avaliar nestas circunstâncias: se o aluno, se o pai, se a mãe, se ambos, se a avó ou até mesmo se o primo afastado, poeta de longo curso, acabadinho de regressar de Espanha, depois de umas férias merecidas em Benidorm.

João Luís Nabo  (In "O Montemorense", Março de 2017)

Sem comentários:

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal