quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Pose de Estado



Sim, ando pelo Facebook para escrever o que me parece que devo, para provocar discussões, para dar recados, para abraçar amigos e para despachar os que pensam que o são mas não o são. Mas isso sou eu, que não tenho qualquer responsabilidade política na minha cidade e no meu concelho. Porque se eu tivesse responsabilidade política na minha cidade e no meu concelho, não utilizava o Facebook para defender posições que, decerto, deveriam ser defendidas em sede própria, nem para divulgar questões de teor pessoal sobre a família e os amigos, provocando, tantas vezes, momentos de constrangimento a quem lê, muito menos para questionar adversários políticos sem que eles possam reagir num ambiente franco e transparente, como se pretende que sejam os ambientes de troca de ideias, ou até para acusar e defender a esmo pessoas e ideologias, sem medir as consequências políticas de tais desabafos. Se eu tivesse essas responsabilidades políticas, não usaria esse veículo como jornalinho pessoal, para espalhar intrigas, escarafunchar questiúnculas, reabrir feridas, espalhar desamores como se eu fosse um cidadão comum, iguais aos demais, sem responsabilidades políticas na minha cidade e no meu concelho.
Se há uma questão que alguns políticos da nossa cidade ainda não entenderam, após tantos anos de democracia e de governação livre, é a necessidade de uma atitude de estado. E parece-me que, com os exemplos dados todos os dias pelo actual Presidente da República, não é tão cedo que o vão entender.
À vontade não é à vontadinha e mais vale cair em graça do que ser engraçado, já me dizia o meu velho e saudoso Pai, sempre atento e amigo,


João Luís Nabo

In "O Montemorense", Novembro de 2016

Sem comentários:

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal