segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Fabulosa!


Um amigo algarvio, e montemorense ao mesmo tempo, preocupado com as conversas que circulam por aí, enviou-me esta fotografia da Torre, numa perspectiva pouco habitual e, por isso, brutalmente bonita. Obrigado, Tó Alves. Quero-te cá em Outubro.

domingo, 29 de agosto de 2010

Quem o alheio veste...


Tony Lopes, Paulo Alface, Daniel Garfo, João Bastos, Nuno Galego, David Mira, Pedro Pais, Pedro Patinha e Pedro Ricardo.

Lembram-se dos Amigos do Alheio? À excepção do Pedro Patinha e do Pedro Ricardo, que não puderam regressar ao projecto, e do Pedro Pais, que se encontrava ausente por motivos pessoais, o grupo montemorense que tinha feito uma pausa na carreira há 11 anos, regressou para gáudio (e alguma emoção) dos músicos e dos numerosos amigos e admiradores. Foi um serão muito bom o de ontem, no espaço da Theatron. 
Os músicos, agora mais maduros e todos com a experiência de outros projectos que, entretanto, foram surgindo, continuam a saber o que fazem. A voz do David continua camaleónica, capaz de nascer potente e grave para desmaiar num agudo claro e cristalino onde só alguns conseguem chegar. Foi um prazer ouvi-los.
Um abraço aos Amigos, que continuam  roubar melodias e textos à boa música portuguesa e a dar-lhes um tratamento com uma sensibilidade muito peculiar.

No dia 3, lá estarei em frente ao Palco Pequeno (aquele que vale mesmo a pena) da Feira da Luz. Venham também.

(A foto foi surripiada de um álbum da Theatron. A culpa é dos Amigos do Alheio.)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Para que conste...



... declaro solenemente que a Autarquia montemorense nada tem a ver com as notícias veiculadas sobre o desaparecimento da Torre do Relógio, coisa que vai acontecer lá para o mês de Outubro. O único responsável é o autor destas linhas que anda, de manhã à noite, a tentar por todos os meios evitar o anunciado desaparecimento do mais carismático monumento da cidade. 
Publique-se.

41.000, ou mais...


(Foto: Carlos Carpetudo)

... vão estar atentos à Torre do Relógio. E vão contemplá-la todos os dias, à espera do mês de Outubro.
Alguns começam já a sentir uma certa... nostalgia.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

sábado, 14 de agosto de 2010

THE SONGS


(Foto: M. F. Poças)

... estas com outra carga simbólica, marcadas pelo Tempo português e pela História do país, canções de referência que nos ajudam a perceber melhor a música portuguesa e o modo como ela se confunde com a luta pela liberdade.


HOMENAGEM A ARY DOS SANTOS

Quando: Há bocadinho
Onde: Parque Urbano
Quem: Cantores - Samuel, Fatucha, Sira e Alexandra
           Músicos - Samuel, Nuno, Ivo e André
           Poemas - José Carlos Ary dos Santos


Obrigado ao Ary, ao Tordo, ao Pedro Osório, ao Zeca, bem como a outros compositores, e aos cantores que deram vida às canções no tempo em que elas fizeram sentido.
Obrigado às cantoras de hoje, ao Samuel e aos músicos, porque percebi que continua a fazer (cada vez mais) sentido ouvi-las e cantá-las!           

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

THE SONG


Ofereceu-me uma mulher. A minha. Esta é a canção de sempre. Para mim, claro.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Justiça

Logo que o próximo INCENDIÁRIO seja apanhado, amarrado a uma árvore, regado com gasolina e transformado em justiceiras labaredas, os fogos no país irão para menos de metade. A nossa justiça é uma autêntica bananeira.
Tudo o que falta aqui dizer, digam-no vocês, caros leitores.

Dúvidas...


Queiroz contestou a nota de culpa, apresentou testemunhas abonatórias e aguarda "julgamento". Foi incorrecto, diz-se, para com elementos da brigada antidopagem durante o estágio da Covilhã. O ainda seleccionador afirmou, em entrevista ao Expresso, estar a ser «acusado para esconder negligência médica».  Não percebo por que só agora é que foi notificado. Será o castigo por não ter trazido um bom resultado do Mundial? É o pretexto para ser despedido por ser um líder pouco... carismático? E Scolari? Por que não foi "processado" depois da agressão a um jogador sérvio no final do encontro entre Portugal e a Sérvia, a contar para a fase de qualificação para o Europeu 2008? Por ter carisma? Se Queiroz for despedido, qual é o valor da indemnização? Não será financeiramente mais conveniente a FPF mantê-lo no cargo, depois de algumas palhaçadas a fingir que foi tudo muito grave e tal? Afinal o homem "pecou" ou não? Não será melhor repensar a coisa? É por estas e por outras que cada vez percebo menos de futebol. E não quero perceber.




segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Portas prevenido


Não há meios para combater os incêndios que devoram o país? Puro engano. Com que intenções teria Paulo Portas - aquela inteligência tão rara -  pago tantos milhões por dois submarinos alemães? Oh, povo ignorante!! Para combater os incêndios, pois claro!! Qem é amigo, quem é? O Portas! O Portas! O Portas!

domingo, 8 de agosto de 2010

Pois é...


O professor  e escritor brasileiro Affonso Romano de Sant'Anna produziu um texto que a minha mulher partilhou comigo recentemente. Aqui fica, dedicado desta vez a todos os que poderiam, pelos motivos que adiante entenderão, escrevê-lo sem alterar uma única vírgula.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos seus próprios filhos. É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estouvanados. Crescem sem pedir licença à vida. Crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância. Mas não crescem todos os dias de igual maneira. Crescem de repente. 
Um dia sentam-se perto de nós no terraço e dizem uma frase com tal maturidade que sentimos que já não podemos trocar as fraldas àquela criatura. (...) A criança está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil (...).
E eles crescem meio amestrados, observando e aprendendo com nossos acertos e erros. Principalmente com os erros que esperamos que não repitam. Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos próprios filhos. Dixámos de ir buscá-los à porta das discotecas e das festas. Passou o tempo do ballet, do inglês, da natação e do judo. Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas. 

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Crime impune


LITTLE BOY é o nome da bomba que arrasou Hiroshima sob as ordens do Presidente Americano Harry S. Truman. Faz hoje 65 anos que os americanos assassinaram cobardemente mais de 240 mil civis, habitantes daquela cidade japosesa. No dia 9, FAT MAN, outra bomba caiu sobre Nagasaky ceifando a vida a mais de 70 mil pessoas. Depois destes dois brutais ataques nucleares, o Japão capitulou, assinando a rendição a 15 de Agosto de 1945 e os Estados Unidos da América subiram ao trono do Mundo. Há preços que não têm preço.

Os comportamentos, constantemente paradoxais, ao longo da jovem "carreira" como nação livre desta ainda super-potência mundial podem levar-nos a uma conclusão simplista: os Estados Unidos têm mostrado ao mundo incríveis lições de humanidade e democracia, protagonizando, ao mesmo tempo, casos condenáveis, a toda a prova, de crime, abuso de poder e terror. Simplista a conclusão? Incontornável, contudo.


Feira do Condado 2010


Sei que vivemos uma era global e que o turismo fala, sobretudo, Inglês. Mas chamar County Fair à tradicional Feira da Luz, de Montemor-o-Novo, julgo que não é culturalmente sensato e desvirtua o verdadeiro significado desta iniciativa tão antiga.

A nossa Feira da Luz data da Idade Média e, ao contrário do que se possa pensar, não ganhou o nome por estar sempre profusamente iluminada, mas por ser erigida anualmente em honra de Nossa Senhora da Luz, a oraga da chamada Igreja do Hospital. County significa literalmente Condado (divisão administrativa na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos da América) e é, ao que parece, a palavra que mais se aproxima do conceito da palavra portuguesa Concelho. No entanto, quando por necessidade de sentido, se associa a palavra County à palavra Fair (Feira) obtém-se um produto estranho - Feira do Condado - que nada tem a ver com a realidade portuguesa e, muito menos, com o que a tradição de Montemor confere à velhinha Feira da Luz. Apesar de as intenções serem boas, penso que não atingiram o seu objectivo.
Querem uma BOA tradução para Feira da Luz 2010? Ela aqui fica: FEIRA DA LUZ 2010.


Adenda: É importante ressalvar que a iniciativa da tradução que circula online não é da responsabilidade da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, promotora do evento.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Obrigadinho e voltem sempre

Agora sim!


REPÚBLICA DE BANANAS

(Situada no sudoeste da Europa, entre os paralelos 37º e 42º de latitude norte e os meridianos 6º e 9.5º oeste de Greenwich)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Faites Daivars


Pinto Monteiro contra o Estado e os magistrados; Marinho Pinto contra os advogados com três anos de curso (curso?); casamento de pessoas do mesmo sexo em alta e a irritar o pessoal bem comportado das igrejas; crucifixos em locais públicos, burkas e mánasêquê; Salazar morreu há quarenta anos e era uma excelente pessoa (dizia a D. Maria, sabe-se lá porquê); Cristino Reinaldo e o seu alegado filho; a mãe de Cristino Reinaldo, alegada avó do alegado neto; Queirós no olho da rua e sete cães a um osso; as tias das revistas (a Cuca, a Loló e a Pachacha) e outras porrinhas do género continuam a cumprir a sua função: desviar a atenção do Zé Povinho, enquanto o Zé Primeiro, cada vez mais relativo, lhe continua a ir ao... bolso. Vivam as férias e viva também a estupidez natural do povo que já nem estatuto de povo tem, cada vez mais pobre na carteira e na cabeça.

Não sei bem porquê...


Recebi este texto através do Facebook, publicado por uma miúda fantástica, minha ex-aluna, chamada Ana Castanho. Li e personalizei-o. Obrigado, Ana.




Em memória de cada paciente com cancro, dos familiares ou amigos que perderam a batalha, e também em homenagem aos que continuam a vencê-lo! Um tributo à ciência e aos médicos e suas equipas sempre em luta contra o tempo, os primeiros a saudar uma vitória ou a sofrer uma frustração. Um olhar especial a todos os meus amigos que já partiram, sem nunca terem perdido a esperança. Hoje, não sei porquê, é um dia bom para pensar neles.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Mais aliviados...


...é como se sentem agora alguns políticos da nossa amada nação. Morreu o jornalista Mário Bettencourt Resendes.

domingo, 1 de agosto de 2010

A gente passa-os!



... A coisa adivinhava-se. Querem que passemos os alunos? A gente passa-os, mas depois não nos venham pedir responsabilidades quando as pontes começarem a ruir, quando as casas não se aguentarem em pé, quando juízes e advogados tiverem dificuldade em fazer/interpretar as leis, quando os novos médicos tiverem de recorrer aos mais velhos para poderem fazer o diagnóstico adequado, quando os músicos deixarem de compreender o valor matemático das notações musicais, quando os psicólogos não conseguirem interpretar as dúvidas e as queixas dos pacientes, quando os operários ficarem (ainda mais)  sem emprego por não terem as competências mínimas, quando os jovens agricultores não perceberem a diferença entre uma batata e uma beterraba, quando o pessoal não tiver os skills básicos para passar um cheque ou para escrever o currículo com o objectivo de concorrer a um emprego. 

Se tal maluquice for aprovada, terá sido dado início à era da burrice legalizada. A começar pelos lugares de topo. Tenho pena, muita pena, que tudo por que tenho lutado em 27 anos de carreira comece agora a perder todo o significado. 

P.S.: As perguntas ao 1.º ministro sobre o caso Freeport ficaram sem resposta. Será que ele não percebeu o que se perguntava? Será ele já um exemplo antecipado do que havia de vir?

Distraídos crónicos...

Contador de visitas

Contador de visitas
Hospedagem gratis Hospedagem gratis

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Montemor-o-Novo, Alto Alentejo, Portugal